Os motores conseguem identificar gasolina ruim?

gasolina

 

Diretamente não há como identificar se a gasolina é boa ou ruim, porém existe outra forma. Entenda.

Antes de mais nada é preciso entender que as injeções eletrônicas modernas possuem diversos sensores, entretanto nenhuma que consiga medir o ponto de ignição e a quantidade de octanas do combustível.

O grande responsável por sinalizar a qualidade da gasolina é a sonda lambda. Ela mede a quantidade de oxigênio presente nos gases de escape.

Os seus dados são usados para ajustar o tempo de injeção do combustível, sua quantidade e o ponto de ignição, que é alterado constantemente.

Entretanto, isso não impede que a injeção reconheça o uso de gasolina com mais octanas de forma indireta. Desde 2015, a gasolina premium tem menos etanol misturado (25%) do que a comum e aditivada (27%).

Como saber?

Através da sonda lambda, é possível identificar a octanagem por meio dos sensores de oxigênio presentes nela. A queima de combustível de má qualidade altera os dados coletados pela sonda e, quando isso ocorre, a injeção altera seus parâmetros.

Quando esse ajuste chega ao limite programado pela montadora, a luz-espia da injeção se acende, indicando que o motor não está mais trabalhando dentro dos parâmetros pré-estabelecidos, denunciando ao motorista que o combustível que ele colocou é de qualidade baixa.